lençol amassado.

Eu só queria que você passasse aqui hoje para dizer que foi horrível e que não é mais necessário tentar, pode fazer isso? Vou chorar, vou sorrir e vou tentar desfazer o não, mas vou desejar estar ali e mesmo que seja a despedida eu acho necessário sofrer, como sempre, para saber o que você está pensando.

Você sumiu há um mês e agora reaparece com um e-mail amargo como se nada pudesse ser como antes, mas que antes? Nunca houve nada, nunca me deixou ser nada, não houve nada, mas a porta sempre esteve aberta e o colchão ainda está lá com o lençol amassado e tudo está fora do lugar.

Era quase o fim de tudo, mas você reapareceu e as coisas passaram do ponto, de novo, mas sumiu e eu fiquei aqui sentada no colchão. Eu estive andando o mesmo caminho que sempre andei e você continuava se escondendo de mim só para fugir da verdade.

Passa aqui e me deixa te olhar, sentir seu cheiro, tocar e me dá um último beijo e vamos ver se as coisas acontecerem como da última vez. Não estou pedindo para ficar, só quero te olhar e entender o que me faz viver assim por alguém como você.

Então volta? Mas vem hoje e não precisa bater só entra devagar. Vou deixar a casa aberta e já escuto os teus passos.

Anúncios

Devidamente sem título!

Por Fernando Mello

 

Pior do que se sentir perdida é perder-se em si mesmo. No emaranhado do que você acredita misturado ao que você é ou era. O que você acredita, apostando corrida com o que você mais detesta. O que você tem, jogando palitinhos com o que você quer. Seu amor e suas dores na linha de chegada e o coração de juiz em dia de clássico.

Eu não sei se você entende o raciocínio de quem não tem raciocinado ultimamente ou se entende o porquê de certas coisas que não se explicam.

Quando a cabeça não pensa o corpo padece. Mas quando a cabeça pensa demais será que nossa alma enriquece?

Você cheio de indagações e de táticas que não fazem o menor sentido. (pelo menos para você ou pelo menos naquele momento).

Suas certezas mudam, suas prioridades deixam de ser prioridades já que você nem sabe mais o que deseja. Até sabe, mas está tão longe e você tão cansado que o mais fácil é deixar que as prioridades te encontrem e você pode fugir do que não interessa. Seus princípios enfraquecidos te cobram uma atitude e você cobra a coragem.

Seus olhos pesam e seu coração já bate fraco. De tanto que bateu a vida inteira. De tanto chorar amor e fracassos. De tanto chorar pelo leite derramado você decide que se entender é complicado demais. O quente queima e o frio é gelado demais, vai o morno mesmo que não causa sensação alguma e no momento você não tem sequer condições de sentir algo. Sentir dá trabalho e trabalho acarreta uma série de responsabilidades. Responsabilidade é chato demais e não aquece seus pés nos dias frios.

Você enfim, opta por decidir somente pelo necessário. Pelo que realmente vai fazer alguma diferença em sua vida e desiste de tentar equilibrar-se, isso é para artista circense e você nem gosta tanto de circo. Melhor deixar assim.

Uma porta de saída e uma de entrada. O que vale fica e o que não vale que valesse. Nada de culpa ou de noites mal dormidas, nada de coração na boca em de frio na barriga.

Certas coisas não se explicam. Não existem palavras que as descrevam ou soluções que as resolva . Sentimentos, gestos, sonhos e sorrisos. A alma entende e a boca cala.