Alguém conhece a Joana?

Joana sempre teve histórias tristes e sempre falou de coisas tristes, Joana não tem ninguém…

Joana já teve, mas agora não tem, ela teve irmão mais velho que era bonzinho que só, falava besteira e bebia que só…

Hoje Joana anda sozinha nas ruas do centro, e só pensa em deixar esse mundo, só não se sabe o que Joana esconde dentro do coração, só Joana sabe…

Joana mora sozinha por aí, mas também não se sabe com quem e se dorme bem…

Ela chora todas as noites, como besteira e conversa com a própria sorte…

Ah, Joana tem redes sociais, sabe muito bem lidar com orkut, facebook e twitter, mas  só não sabe andar nas nuvens…

Joana quando criança brincava de tudo com todo mundo, achava que a vida ia ser leve o tempo todo e nunca se preocupou com isso de crescer, só queria viver…

Ela tem sonhos, mas prefere viver sem eles, afinal, pra ela andar sem eles é mais simples…

Ela já teve um pai, mas não sabe como ele era, sabe que teve, só não sentiu seu cheiro nem passeou de mão dada na praça com ele…

E como já foi falado ela chora sempre, chora de saudade das pessoas que amou e foram de repente…

Bom, amigos? Siiiim, ela tem amigos e muitos, a verdade é que não sabe muito bem lidar com eles, mas eles sabem que ela estará lá para ajudar se assim for necessário…

As palavras não explicam Joana, é só observar seu jeito e seu olhar…

Ah, a música explica um pouco Joana, ela gosta de tudo um pouco de coisas boas e ruins, mas gosta de andar, sentir o vento e ouvir músicas simples no seu fone…

Gosta de samba, mas gosta de Beatles e sabe que “Let it be, let it be” foi feita pra ela…

A vida de Joana é modesta e se resumi em sorrisos e lágrimas que ela “produz” com o desenrolar da vida…

Menina complicada essa Joana…rs

O cachecol…

Uma coisa eu já entendi somos de lados opostos, certo? Mas parece que estamos indo para lados parecidos, certo? E esse é só o começo de tudo, então deixa eu te explicar, só vai levar um segundo ou talvez um pouco mais.

Me importo com seu jeito, com seu cheiro, com sua idade, com as conversas, com as palavras e com você. Talvez eu queira cuidar de mim cuidando de você, entende?
Pra onde eu devo ir? E como volto para casa se não dar certo? Mas se as coisas acontecerem posso ficar? Prometo que fico ali no canto bem quietinha só vai me notar se quiser. Eu fico naquele canto ali.
Sente meu cheiro e me diz se gosta e vamos conversar.
Da última vez que te vi fiquei com uma coisa sua não quero devolver e agora?
Não sinto nada ainda e nem quero sentir, eu acho. Mas a confusão é que não sei se é amizade ou vontade? Saca? Tesão mesmo…
A ansiedade me faz me arriscar nas conversas, por isso que não sei o que quero às vezes.
Enfim, só não solta da minha mão agora? Fica aqui e me deixa com aquilo que me emprestou ontem?
E eu digo cá entre nós, vamos deixar as coisas se encaixarem e me deixa decidir se é cedo ou tarde…